Em entrevista para o site da versão canadense da revista ELLE, Emma Corrin falou sobre o quanto a Princesa Diana era feliz e como foi interpretar esse lado de alguém que passou por tanto desde quando esteve em um relacionamento com o Príncipe Charles. Confira a tradução:

Emma Corrin sobre retratar a felicidade da vida da Princesa Diana

A quarta temporada de The Crown mostra uma jovem Princesa Diana lidando com um transtorno alimentar e um casamento desafiador, mas também momentos de alegria.

Perto do final da quarta temporada de The Crown, que acompanha a vida da família real britânica entre 1979 e 1990, a Rainha Elizabeth II (Olivia Colman) visita sua filha, a Princesa Anne (Erin Doherty), para tentar entender por que o casamento entre seu filho, o Príncipe Charles (Josh O’Connor) e a Princesa Diana (Emma Corrin) está falhando.

“Era uma vez uma linda jovem que se apaixonou perdidamente por um belo príncipe”, explica Anne à mãe. “Infelizmente, o príncipe já estava apaixonado por outra pessoa, que também estava apaixonada por outra pessoa. E todos eles viveram infelizes para sempre.”

Ela está, é claro, se referindo ao triângulo amoroso entre Diana, Charles e Camilla Parker-Bowles (que na verdade é mais um quadrado amoroso, se você levar em consideração o então marido de Camilla, Andrew Parker-Bowles). E enquanto “é isso em poucas palavras”, como Anne diz, a temporada, que chega na Netflix em 15 de novembro, explora a complicada realidade — incluindo a diferença de idade de 12 anos entre Charles e Diana, o ciúmes de Charles sobre a recepção calorosa do público com a Diana e, sim, casos extraconjugais de ambos os lados — isso contribuiu para a separação em 1992 e o eventual divórcio em 1996.

Tornando-se Princesa Diana

Lady Diana Spencer, como a conhecemos pela primeira vez na temporada, trabalha em um jardim de infância e mora com as amigas em um apartamento em Londres. O papel é interpretado por Corrin de 24 anos, que se parece estranhamente com uma jovem Diana. “Há muito que se passa na construção desta personagem: a peruca e a maquiagem, e então os trejeitos e a voz e todas as pesquisas,” Corrin nos diz. “É como juntar uma pessoa peça por peça.” (Nas temporadas cinco e seis, a Princesa Diana será interpretada por Elizabeth Debicki.)

Apesar das semelhanças, Corrin está certa que esta é a interpretação dela da princesa do povo. “Há um milhão de documentários que as pessoas podem assistir se quiserem ver [a verdadeira] Diana”, diz ela, apontando In Her Words, que é composto inteiramente de comentários da própria Diana. “Esse não é o objetivo deste show.”

A quarta temporada cobre o relacionamento tumultuado de Diana com Charles e a maior parte de seu casamento — embora, apesar dos incríveis detalhes colocados na criação do vestido de noiva de Diana, ele consome muito pouco tempo na tela. Corrin chama o peso do vestido, que levou mais de 600 horas para fazer, de “memorável”. “Foi lindo”, diz ela. “Usá-lo no set e atuar nele parecia incrivelmente surreal.”

“Ela foi sincera sobre sua saúde mental”

A temporada também explora o impacto que une a família real e todo o escrutínio que isso implica, aos 20 anos, na saúde mental de Diana — particularmente, sua luta contra a bulimia. De acordo com a Netflix, os produtores trabalharam com a BEAT, uma instituição de caridade para transtornos alimentares do Reino Unido, para criar a história, que foi desenvolvida em torno dos comentários pessoais de Diana sobre seu transtorno alimentar.

Durante sua pesquisa para o papel, Corrin ficou surpresa ao saber o quão sincera a Princesa Diana era sobre sua saúde mental. “Podemos dar por garantido agora, mas lá nos anos 90, quem estava falando sobre saúde mental? Ainda mais aqueles que estão sob os olhos do público”, diz Corrin. “Foi incrível como ela falou tanto sobre isso.”

“Não queríamos recriar a tragédia”

Corrin diz que interpretar a felicidade da vida de Diana, incluindo o amor inicial entre Charles e Diana, foi importante para ela. Josh [O’Connor, que interpreta o Príncipe Charles] e eu tivemos que ter muito cuidado. Tivemos que lembrar um ao outro que não queríamos fazer o final, a tragédia, e foi muito difícil de fazer”, diz ela. “Espero que tenha transmitido isso em seu relacionamento com William e Harry, a alegria que eles trouxeram para ela e nos momentos em que ela achou que o casamento estava indo bem.”

“Quando falei com seu secretário particular, uma das coisas que ele disse foi que ela era uma pessoa naturalmente feliz, apesar de tudo que estava dando errado para ela”, acrescenta.

“Espero que [o público] veja um retrato muito equilibrado de uma garota que foi jogada em uma situação para a qual estava completamente despreparada e como ela superou isso e se protegeu”.

Fonte: ELLE
Tradução e adaptação: Emma Corrin Brasil